Comprar um skate pode te trazer mais qualidade de vida

Comprar um skate pode te trazer mais qualidade de vida
 

Por Eduardo Artico

Tudo começou há mais de mil anos com os polinésios. Vencer a arrebentação ficou muito mais fácil deslizando pelo mar com manobras em cima de uma prancha.

Centenas de anos depois o surf chegou ao Havaí e, poucas remadas à frente, até a costa oeste dos Estados Unidos. Mas o que toda essa história tem a ver com o skate?

Certo dia, numa época de maré baixa e seca na Califórnia, alguns surfistas começaram a praticar o “side walk surf” em skates ainda muito primitivos. Sem nose nem tail, eles eram apenas uma tábua e quatro rodinhas. Embora os primeiros campeonatos sejam de 1965, demorou uma década até que o skate se tornasse tão popular.

Podemos dizer que a primeira revolução do skate foram as rodinhas de uretano, desenvolvidas por Frank Nasworthy em 1973. Foi aí que o skate passou a pesar por volta de 2,5kg, o peso mais comum hoje em dia.

Tempos depois, em 1975, um grupo de garotos revolucionou ainda mais a cena, realizando manobras típicas do surf sobre o skate. Tony Alva, Stacy Peralta, Jay Adams e Sid formaram um quarteto que, na periferia da cidade de Venice, se tornou os Reis de Dogtown cuja história virou filme em 2004. Aos quatro garotos se juntou Skip, dono de uma loja de pranchas que percebeu que o talento deles poderia se tornar um negócio rentável, e assim surgiu a lendária equipe Zephyr Skate Team.

Em 1976, outra seca fez a Califórnia tostar e muitas pessoas tiveram que esvaziar suas piscinas por causa do racionamento de água. Foi aí que Tom “Wally” Inouye percebeu que vazias, as piscinas viraram uma pista perfeita para manobras radicais. E assim ele inventou o “wallride” e o “backside airs”.

Outra manobra que virou marco na história do skate foi o Ollie-Air, criada por Alan Gelfand em 1979. Ela possibilitou ultrapassar obstáculos elevados, tornando-se a base de qualquer manobra. Atualmente, não se pratica street style sem o domínio do Ollie-Air. Aí chegaram os anos 80 e o skate foi ganhando a cara que tem hoje. Principalmente pelo surgimento do half-pipe e de caras como Rodney Mullen (pai do kickflip e do darkside), Tony Hawk (o gênio do skate vertical), Steve Caballero, Tony Alva e Lincoln Ueda, o cara que lançou o Brasil no cenário mundial. E hoje quem domina a cena também é um brasileiro: Bob Burnquist, um dos maiores vencedores do X-Games, que revolucionou novamente com o Switchstance vertical.

Para encerrar nosso rolê, vamos falar da moda skatewear. Antes era um visual todo largado com roupas bem largas, calças big e sem nenhuma preocupação com a aparência. Hoje as camisetas mais compridas trazem a arte dos grafiteiros, a camisa xadrez bem recortada fica bem nas baladas, e a calça skinny virou tendência no lugar da big. E um acessório, o boné, continua inseparável, sendo que os bonés de aba curvada vêm perdendo espaço para os bonés de aba reta.

Deixe seu comentário:

Eduardo Artico

Eduardo Artico

Redator publicitário. Especialista na arte de criar sacadinhas e anúncios.

Veja mais publicações de Eduardo Artico

+ Bem Estar

Como sua tatuagem pode dar muito errado
Como sua tatuagem pode dar muito errado
Descobri que posso ser mais saudável com uma dieta bacana
Descobri que posso ser mais saudável com uma dieta bacana
O mar cria ilusões, a onda as questões, o surf as respostas
O mar cria ilusões, a onda as questões, o surf as respostas
Toda vez que vejo um adulto em uma bicicleta, eu já não me desespero quanto ao futuro da raça humana
Toda vez que vejo um adulto em uma bicicleta, eu já não me desespero quanto ao futuro da raça humana

Tags:, , , , , , , ,