ATENÇÃO: Esta é uma página gerada automaticamente com base na sua pesquisa. Este site não disponibiliza links para downloads ilegais ou piratas.

bairro copacabana rio de janeiro

As praias do Rio de Janeiro continuam lindas
As praias do Rio de Janeiro continuam lindas

As praias do Rio de Janeiro continuam lindas

Rio de Janeiro, a cidade maravilhosa, cheia de belezas naturais e pontos turísticos incríveis. Uma dica que eu recebi logo que cheguei na cidade foi para subir em um dos muitos morros, lá de cima é possível admirar toda a beleza do Rio. Meu medo como de muitos turistas era com a segurança, e posso dizer com toda a certeza, leve sua câmera sem medo nos principais pontos turísticos do Rio, o policiamento é forte e reforçado, recomendo que você visite a Lagoa de Freitas, um local lindo onde as pessoas praticam esportes e e divertem.

Rio de Janeiro, a cidade maravilhosa, cheia de belezas naturais e pontos turísticos incríveis. A cidade ocupa a margem ocidental da baía de Guanabara e as ilhas (como Governador e Paquetá), e desenvolveu-se sobre estreitas planícies aluviais comprimidas entre montanhas e morros. Está assentada sobre três grandes maciços: Pedra Branca, Gericinó e o da Tijuca, com picos de interesse turístico como o Bico do Papagaio, Andaraí, Pedra da Gávea, Corcovado, o Dois Irmãos e o Pão de Açúcar. Seu litoral tem 197 quilômetros de extensão e inclui mais de cem ilhas que ocupam 37 km², e desdobra-se em três partes, voltadas à baía de Sepetiba, ao oceano Atlântico e à baía de Guanabara. O litoral da baía de Sepetiba tem como único acidente geográfico de expressão a Restinga da Marambaia e é arenoso, baixo e pouco recortado. O litoral da baía de Guanabara é recortado, baixo, abarca muitas ilhas (como a do Governador com de 29 km²) e, em suas margens, situam-se o centro comercial e os subúrbios industriais. O litoral Atlântico expressa alternâncias consideráveis, apresentando-se ora alto, quando em contato com as ramificações costeiras dos maciços da Pedra Branca e da Tijuca, ora baixo, trecho pelo qual se estendem as praias integradas à paisagem urbana. Diversas lagoas, como as da Tijuca, Marapendi, Jacarepaguá e Rodrigo de Freitas formaram-se nas baixadas, muitas de terreno pantanoso a ainda não completamente drenado. O clima do Rio de Janeiro é o tropical atlântico, com variações locais, devido às diferenças de altitude, vegetação e proximidade do oceano. Por se tratar de uma cidade litorânea, o efeito da maritimidade é perceptível, traduzindo-se em amplitudes térmicas relativamente baixas. Os verões são quentes e úmidos e ocasionalmente com temporais. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde 1961 a temperatura mínima absoluta registrada no Rio de Janeiro foi de 3,8 °C em 2 de julho de 1974 na estação meteorológica de Jacarepaguá (desativada em 1977), e a maior atingiu 43,2 °C na estação do bairro Santa Cruz. O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 327,2 mm em 12 de março de 1998, no Alto da Boa Vista.