Como ir na Chapada dos Veadeiros e aproveitar as pousadas

Como ir na Chapada dos Veadeiros e aproveitar as pousadas
Daniel 2 Matsuoka / Flickr

Esse belíssimo pedaço de chão tem cachoeiras que chegam a 100 metros e rios pra lá de cristalinos. Também tem paredões enormes de pedra e cheio de vegetação do cerrado. Conseguiu imaginar como é lindo lá? É certo que o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros uma beleza raríssima e toque de mistério primitivo que permite que estiver por lá imaginar se não seria assim o Jardim do Éden.

O acesso ao parque se dá pelo Povoado de São Jorge, que está ligado à cidade de Alto Paraíso de Goiás por uma estrada parcialmente asfaltada de 36 km. Guias para o acompanhamento dos visitantes do parque podem ser encontrados no povoado próximo à entrada do parque. A visitação do parque acompanhada por guias é, contudo, opcional. Entre as principais atrações do parque estão os dois saltos do rio Preto, com respectivamente 80 e 120 m de altura, os canyons do rio Preto, quedas d’agua em paredes rochosas de um estreitamento do rio, e as cachoeiras carioquinhas, uma formação de piscinas naturais ideal para banhos leves e hidromassagem.

Além das trilhas do próprio parque, há diversas atrações turísticas em terras particulares, no entorno do parque. Elas incluem:

Vale da Lua

Formações rochosas cinzentas esculpidas pelo rio São Miguel, que possuem um aspecto “lunar”.

Cachoeiras Almécegas

Duas cachoeiras, uma de 50 e outra de 15 metros, em que a água escorre por rochas íngremes. Próximo ao centro de Alto Paraíso.

Raizama

Conjunto de cachoeiras ideal para a prática de canyoning e rapel.

Águas termais

Piscinas naturais com água a cerca 38 graus de temperatura.

Deixe seu comentário:

É certo que a Chapada dos Veadeiros uma beleza raríssima e toque de mistério primitivo que permite que estiver por lá imaginar se não seria assim o Jardim do Éden.

Tem atrações que você precisa estar realmente disposto a caminhar para conseguir chegar. Tem trilhas que são de acesso e chegam a 5 km de percurso e outras que de tão perigosas, é necessário estar acompanhado de um guia, com trechos íngremes e de muitas pedras. Mas, como recompensa, praticamente todas as trilhas terminam em lugares de quedas-d'água ou entre grandes formações rochosas.

Na verdade, muitos dos atrativos naturais estão em propriedades particulares. No Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante ou São Jorge, por exemplo, inclusive a entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está em São Jorge e foi considerado Patrimônio Mundial Natural pela Unesco.

Com as suas vastas e exuberantes planícies com lindas flores excêntricas, por onde passam araras e tucanos descansando pelos buritis altivos, naquela vastidão do cerrado. Composta por exuberantes paisagens, das mais bonitas, há abundância de pedras como quartzo, o que intensifica o misticismo local e a ser vista como um centro de concentração de energia, como muitos acreditam e o fato de ela ser cortada pelo paralelo também influencia a crença (mesmo paralelo que passa por Machu Picchu).

Quando comprar esta viagem, lembre-se de passar por Cavalcante, a qual o turismo, a mineração e a geração de energia são suas principais atividades mais sem desprezar a pecuária que sustenta seus moradores há anos. E na cultura tem como principais atividades as romarias e folias, a caçada da rainha, danças como o lundu e a sussa, em agosto o festival de música Instrumental e em dezembro a mostra de cinema Etnográfico.

Passe também pelo Povoado de São Jorge, tá ali no coração da Chapada dos Veadeiros em uma região de cerrado de altitude, guardando uma das formações mais antigas do planeta e a entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Localiza-se o Distrito de São Jorge que teve sua povoação iniciada por volta de 1912 por garimpeiros em busca do cristal quartzo, a abundância do mineral atraiu garimpeiros de vários lugares, principalmente da Bahia, que foram chegando para a região formando assim um grande acampamento denominado "Acampamento do Garimpão".

Mas também o Alto Paraíso de Goiás, que é um município brasileiro localizado no Nordeste do Estado de Goiás, pertencendo à Chapada dos Veadeiros e, desde 2001, à Área de Proteção Ambiental - APA de Pouso Alto.

O Povoado do Engenho, por exemplo, está em Cavalcante a 27 km da cidade no Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga que possui 237 mil hectares. Possui muita História e belíssimas cachoeiras como a Santa Barbara de cor de água azul, a capivara a menos de 1 km do povoado e a Candaru com 70 m de queda.

Passe por Teresina de Goiás, mas não há muito o que dizer além de que a paisagem por lá não deixa a desejar, pode tirar lindas fotos por lá. Tem São João da Aliança, que vale a pena dar uma visitadinha. E Colinas do Sul, que está ali pertinho do povoado de São Jorge, à barragem de Serra da Mesa e ao espelho d'água Cana Brava. Região associada a criação de gado bovino, principalmente, destinados ao corte. Possui potencial túrístico devido à grande quantidade de rios, cavernas, termas, hotéis, pousadas ligadas, também à pesca esportiva.

Fora isso tem também o Vale da Lua, a Cachoeira Almécegas, nos arredores do parque. Salto 1 do Rio Preto, com 120 m de altura e Salto 2 do Rio Preto, com 80 m de altura. O Pequeno Canyon dentro do parque e, vale dizer que o Cervo-do-pantanal, uma espécie bem comum na região. Tem o Morro da Baleia, na estrada que liga Alto Paraíso a São Jorge, Leito da formação Vale da Lua, composta por rochas sedimentares modeladas por erosão fluvial, a vista do campo próximo ao Rio dos Couros na Chapada dos Veadeiros, o conjunto de rochas sedimentares em pequena queda na Trilha dos Cristais, Almécegas I é uma cachoeira lindíssima, Jardim de Maytréia,. Devo confessar que as linhas suaves ao longo das encostas dos morros expõe camadas sedimentares com litologias diferenciadas.

Pra você saber, mais da metade da área do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros pertence à cidade de Cavalcante. Mas, como ela ainda não tem uma portaria para os visitantes, a diversão fica por conta das atrações escondidas nas propriedades particulares das cercanias, a maior parte acessada por estradas de terra. As cachoeiras do Prata e as de Santa Bárbara, por exemplo, estão entre as mais bonitas da região. Muitos casais e famílias também procuram Cavalcante a fim de curtir a viagem sem sair de suas bem-estruturadas pousadas – algumas delas erguidas em antigas fazendas.

Tem uns detalhes do PARQUE NACIONAL DA CHAPADA DOS VEADEIROS que são bem importantes, como: Na entrada do Parque, o registro dos visitantes é feito mediante o preenchimento do Termo de Conhecimento de Riscos e Normas.

O Parque é aberto à visitação de terça a domingo. Em casos de feriados nas segundas-feiras, o Parque permanecerá aberto neste dia, fechando no primeiro dia útil subsequente. Em janeiro e julho, meses de férias escolares, o Parque fica aberto todos os dias. Entrada: 8h às 12h. Saída: até 18h.

A visitação é limitada por trilha: - Travessia das Sete Quedas: 15 pessoas acampadas/noite; - Trilha dos Saltos: 250 visitantes/dia; - Trilha dos Cânions: 200 visitantes/dia; - Trilha da Seriema: 30 visitantes/dia.

E por último, prepare-se para a caminhada:

  • Saiba se você tem o preparo físico adequado para percorrer as trilhas do Parque. Caminhar no cerrado, mesmo com tempo nublado, é uma atividade muito desgastante. Tome um café da manhã bem reforçado. Mesmo que você não esteja acostumado a comer logo pela manhã, faça um esforço, pois as caminhadas exigirão muito de você, por isso é bom estar preparado.
  • Leve bastante água e um bom lanche, mas evite vasilhames de vidro ou enlatados. Prefira alimentos leves como frutas, castanhas, sanduíches (sem maionese), banana e uva desidratada.
  • Utilize roupas adequadas, boné e tênis ou outro calçado fechado. Chinelos e sandálias abertas não combinam com trilhas e, se arrebentarem, tornarão sua experiência desagradável.
  • Leve protetor solar e repelente.
  • Leve seus remédios de usos específicos, como antialérgicos, e de uso controlado, como pressão, asma e outros.
  • Na época das chuvas, traga um anoraque (ou capa de chuva) e roupa reserva para trocar após o passeio. Dica: embale roupas e equipamentos eletrônicos em um saco estanque para mantê-los secos.
  • Siga as normas e as orientações dos funcionários do Parque, condutores de visitantes e bombeiros, especialmente nas áreas de banho, pois elas visam a proteção dos ambientes e dos próprios visitantes.
  • Observe, mas não recolha flores e pedras dos locais que você está visitando, nem moleste os animais.
  • Todo lixo que você produzir deverá ser trazido de volta à cidade, inclusive o lixo orgânico.
  • Atividades em ambientes naturais envolvem riscos e o Parque Nacional não conta com serviço de resgate, portanto, aja com moderação. Evite atitudes que possam causar acidente, como subir em pedras ou árvores e saltar no rio de lugares altos. Lembre-se: VOCÊ É O PRINCIPAL RESPONSÁVEL POR SUA SEGURANÇA!

Um beijo e até a próxima viagem!

Bianca Ludymila

Bianca Ludymila

Descobridora do mundo, escritora da vida.

Veja mais publicações de Bianca Ludymila

+ Turismo

Esta é uma igreja que não para de crescer, literalmente
Esta é uma igreja que não para de crescer, literalmente
Merengue é um ritmo original da República Dominicana
Merengue é um ritmo original da República Dominicana
Cuidado! Conheça os destinos mais perigosos do mundo
Cuidado! Conheça os destinos mais perigosos do mundo
10 melhores fotos do Brasil em 2016
10 melhores fotos do Brasil em 2016

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,